7 dicas (bem úteis) para quando você for comprar sua próxima garrafa de vinho

1.Onde fica a adega?

Nós vivemos em um país tropical, lembra da música? E os especialistas aconselham que mesmo vinhos que não são para guardar sejam armazenados a temperaturas que não ultrapassem muito os 21 graus. Isso para não falar que os vinhos toleram mal mudanças de temperatura. Hoje, é cada vez mais comum os restaurantes terem adegas, muitas até climatizadas, mas não é tão raro assim, encontrar lugares onde os vinhos são colocados em qualquer estante, até naquele cantinho perto da cozinha! Nestes casos, é melhor pensar em pedir uma caipirinha!

2. A safra

Belos vinhos envelhecem bem. E custam caro! Se você está procurando apenas um bom vinho para seu jantar de todos os dias é bom lembrar que vinhos mais baratos perdem aroma e sabor quando envelhecem. Nestes casos, quanto mais recente a safra, melhor!

3. Nem tão caro, nem tão barato

No mundo do vinho, a cada dia novos rótulos são lançados. As escolhas são quase que ilimitadas. Isso quer dizer que encontrar um vinho Bom e Barato não é fácil (já dissemos isso aqui neste blog e nas nossas newsletters algumas vezes, não é?) Não dá para apostar na sorte e escolher a primeira garrafa de 30 reais que cair na sua mão. Se forem franceses ou italianos, então, fuja dos baratos.  Tente aumentar o orçamento um pouquinho e fique com algo entre 50 e 100 reais para não correr tanto risco. Ou escolha um vinho argentino ou uruguaio. Também fique de olho nos portugueses e espanhóis que estão chegando por aqui com bons preços. Claro que ainda melhor é pedir indicações do vendedor, conhecer um pouco os tipos de uva, as várias regiões, fazer um diário para não esquecer dos vinhos que você tomou e gostou...hoje existem vários apps que colocam um mundo de informações ao alcance da sua mão, vale navegar....

4. Cuidado com o teor alcoólico

Uma regra geral que costuma funcionar, se não para seu bolso, ao menos para sua saúde, é não comprar vinhos cujo teor alcoólico é maior do que 14,5%. A razão? Muitos vinhos baratos e de má qualidade usam o álcool para mascarar defeitos.

5. Não tenha medo de fazer perguntas

Algumas pessoas se sentem constrangidas de entrar em uma loja e comprar vinho. No mundo do vinho, no entanto, existem mais perguntas e experimentações do que respostas. E não custa lembrar: perguntar é, no mínimo, o melhor jeito de você estar sempre aprendendo. “O que você tem de novo?”, “qual vinho combina com X?”, “tomei um Cabernet Sauvignon tal e tal na casa de um amigo e gostei muito, teria algo similar para eu experimentar?”, “amei o Pinot Noir do produtor tal, qual outro do mesmo gênero você sugere?” Comprar online é outra boa alternativa porque você sempre pode pesquisar mais e não se sente tão pressionado a tomar uma decisão rápida. Em tempos de Google, encontrar informações é maravilhosamente simples!

6. Vinho alemão na pizzaria

Não é que não dê certo, claro que é possível, mas você precisaria ser um bom conhecedor de vinhos alemães para pedir uma garrafa que fosse perfeita para acompanhar sua pizza. Na dúvida, pense no provérbio “em Roma, faça como os romanos” e escolha um vinho italiano na pizzaria, um português na tasca, um argentino ou uruguaio na churrascaria, um francês no bistrô (eventualmente, alguns chilenos também são boas escolhas). As cartas de vinho dos restaurantes em geral seguem uma linha e essa linha obedece a uma estratégia, inclusive de preço. É bem possível que você consiga preços melhores e vinhos melhores se prestar atenção na seleção de rótulos do restaurante.  

7. O rótulo

Muita coisa pode-se dizer de um vinho só lendo o rótulo e é nele que a maioria das pessoas confia, sobretudo quando a gente está sozinho na frente de dezenas de garrafas e sem saber qual escolher. O assunto é mais complexo do que parece e já valeria um post (aguarde!). Os rótulos trazem informações essenciais sobre o vinho. Na frente, em geral, você encontra o nome de vinícola, a variedade de uva, a origem, a safra, e as denominações de origem, além do teor alcóolico. Expressões como ‘reserva’, ‘reservado’, ‘gran reserva’, estão relacionadas ao envelhecimento e aos cuidados especiais na hora do vinho amadurecer, mas devem ser lidas com cautela, porque as regras variam muito de país para país. Na parte de trás da garrafa, às vezes você pode encontrar mais informações fornecidas pelo produtor sobre o vinho que ajudam você a escolher.

Mais dicas: 
O que torna um vinho caro? 

O desafio dos BBs

INFOGRÁFICO: como reconhecer um vinho bom e barato?

Gostou? Agora, se quiser, navegue pela nossa adega, com calma e sem pressão, e aproveite as promoções que oferecemos para você!

Sobre RBG Vinhos

A RBG Vinhos foi fundada em 1998, em São Paulo, por Ricardo Bohn Gonçalves. Nossa vocação é procurar continuamente oportunidades no mundo do vinho, buscando sempre aliar qualidade e bons preços e oferecer a melhor curadoria para orientar a sua escolha.

Para receber as recomendações de Ricardo Bohn Gonçalves, cadastre seu email e seu número de Whatsapp ao lado.

Além de poder comprar seus vinhos por email e por Whatsapp, você também pode escolher seus rótulos favoritos navegando pela nossa adega.

RECEBA NOSSA NEWSLETTER


Se beber, não dirija. Aprecie com moderação.
A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.

+55 11 3676-1781
+55 11 94116-4445
rbgvinhos@rbgvinhos.com.br