7 infográficos sobre as melhores uvas do mundo

Como diria o grande produtor, enófilo e crítico de vinhos Georges Dubeauf, considerado o rei dos Beaujolais, "a excelência de um vinho está na combinação de terroir, talento e, claro, as singularidades de cada uva." Compilamos os nossos 7 grandes infográficos sobre as uvas mais prestigiadas ao redor do mundo. Confira e - tente - decidir qual é a sua favorita, mesmo sendo uma tarefa quase impossível!
 

Cabernet Sauvignon não é um nome estranho para os apreciadores de vinhos em geral. Longe disso. Mas você sabe ao certo quais são as características mais marcantes desta uva e dos vinhos que ela produz?

Nativa de Bordeaux, a uva é o resultado do cruzamento da Cabernet Franc e Sauvignon Blanc e se tornou uma das principais uvas do famoso Corte Bordalês. Apesar de francesa, a Cabernet Sauvignon se mostrou uma uva fácil de ser cultivada nos mais diferentes solos e climas, por isso é encontrada no mundo todo!

O vinho da Cabernet Sauvignon é um vinho mais encorpado, com forte intensidade tanina e com grande complexidade de aromas e sabores, o que faz dele um ótimo acompanhante de pratos de sabor mais forte, como carnes vermelhas.

Considerada por muitos dos grandes enólogos e críticos como uma das melhores - senão a melhor - uvas brancas do mundo, a Riesling é sinônimo de elegância e delicadeza.
 
De origem nas regiões da Alsácia, na França e no Sul da Alemanha, mais especificamente às margens do Rio Reno, a variedade não tem uma data precisa de nascimento, mas foi documentada pela primeira vez no século 15! Ou seja, ela não é uma uva tão jovem assim!
 
Além da Alemanha, França e Áustria, a Austrália foi um dos poucos países do mundo em que a Riesling se adaptou e, atualmente, é responsável por Rieslings de alta qualidade, segundo críticos do mundo todo!
 
O vinho da Riesling é um vinho fresco, complexo, mineral e, geralmente, possui baixa concentração de álcool em sua composição. Curiosamente, é uma das poucas uvas brancas que produz vinhos com potencial de guarda!
 
Harmonizar um Riesling não é tão difícil: sua acidez característica combina com carnes brancas e sobremesas em geral!
 
 
 
Aposto que quando você pensa em Malbec, a primeira imagem que vem à cabeça é uma taça de um macio e aveludado vinho da Argentina. No entanto, a uva não é da terra dos hermanos, embora tenha adaptado tão bem ao clima e à geografia, que virou quase uma marca genuinamente nacional. Na realidade, a Malbec é nativa da França e foi de lá que veio parar no hemisfério sul.
 
A uva Malbec foi registrada pela primeira vez no sudoeste da França, na região de Cahors. Diz a lenda que teria sido resultado dos experimentos de um agricultor húngaro, conhecido como Monsieur Malbeck, que misturava castas de uvas viníferas e depois as vendia para produtores franceses.
 
Hoje, a região de Mendoza é a principal produtora da uva.
Historiadores suspeitam de que a Barbera exista desde o século XVII, na região do Piemonte, na norte da Itália. De casca fina, coloração intensa e uma leve presença de taninos, ela era uma uva tão comum na região que até a década de 1970 era usada para produzir apenas vinhos do dia a dia. Isso vem mudando graças à criação da DOC Barbera d’Asti, em 1970, e à iniciativas de produtores locais. Hoje, é a segunda uva mais cultivada no país, ficando apenas atrás da Sangiovese e produz vinhos de altíssima qualidade. 
 
Por ser caracteristicamente ácido, o vinho produzido a partir da uva Barbera harmoniza muito bem com pratos de personalidade forte, assim podemos dizer, como carnes de cordeiro, temperos e ingredientes especiais, como as famosas trufas italianas. Seus taninos são moderados, apesar da sua cor púrpura intensa. Em geral, são vinhos de corpo leve e graduação alcoólica moderada.
 
Alguns dos mais renomados vinhos Barbera são G.D. Vajra Barbera d’Alba D.O.C. Superiore, Ceretto Vini Barbera d'Alba D.O.C. Piana e Michele Chiarlo Barbera D'Asti Barbera d'Asti Superiore Nizza La Court Vigna Veja DOCG.
 
 
 
 
 
O nome Tempranillo vem de temprano, que significa cedo, em espanhol. Isso porque ela amadurece antes de outras uvas da região, como a Garnacha.A casta, além de famosa, é uma das mais antigas do planeta, a Tempranillo já era cultivada no ano 1000 a.C. na região que hoje é conhecida como a província de Cádis, bem ao sul da Espanha. Hoje, virou a uva típica da Rioja. De casca grossa e cachos cilíndricos de tamanho médio, ela adapta-se bem aos mais diversos climas e solos: em Portugal é conhecida como Tinta Roriz, uma uva que pode ser encontrada em vários blends pelo país. Hoje, é a quarta variedade de uva mais cultivada no mundo e é a que mais vem crescendo!
 
De maneira geral, os vinhos produzidos a partir da Tempranillo são elegantes e bons de envelhecimento, em geral possuem graduação alcoólica alta, de 13 a 14%, textura aveludada, taninos redondos e corpo médio. 
 
 
 
 
 
 
 
 
Nascida na região de Bordeaux - sim! Ela também está no blend mais famoso do mundo, o corte bordalês! E não como coadjuvante, é ela que se contrapõe à austeridade dos taninos da Cabernet Sauvignon e adiciona o aveludado quase sensual tão típicos de um Pomerol ou de um Saint Émilion.  A Merlot é uma uva tinta suave e delicada. Seu nome está relacionado ao pássaro-preto, que em francês se chama merle. A referência é ambígua: pode ser em razão das cores semelhantes do animal e da casca da uva (um preto azulado), mas também pode ser em função da preferência do pássaro por essa casta de frutas! De qualquer maneira, é uma homenagem e tanto, não?
 
De casca aveludada e um preto intenso, azulado, a Merlot se destaca por ter bagos arrendondados e grandes e pele mais fina (daí ter menos taninos!). Apesar de ser francesa de carteirinha, a uva se adaptou muito bem a outras regiões e, em poucos anos, já estava presente na Itália, Chile, Argentina e claro, Brasil, mais especificamente, na Serra Gaúcha.
 
Além da fácil adaptação aos mais diversos climas e regiões, a Merlot se destaca por ser uma uva versátil, tradicionalmente usada nos mais importantes blends do mundo do vinho, mas cada vez mais valorizada em varietais. O mais famoso? Château Petrus.
 
Em geral, é a uva recomendada para harmonizar com as carnes vermelhas, como de boi, cordeiro e porco e aves e com queijos cremosos como brie, cammembert, e gruyère.  E até a nossa feijoada pode ser beneficiar da companhia da merlinha (como alguns franceses a chamam).
 
 
 
 
 
 
Quando pensamos em um vinho elegante, logo nos lembramos de um belíssimo Pinot Noir, não? Além da uva ser uma das mais antigas do mundo, um vinho produzido com Pinot Noir combina com quase tudo e fica perfeito em inúmeras situações: quase um "coringa" do mundo do vinho!  
 
Nascida na Borgonha, na França, a uva Pinot Noir tem fama de ser difícil de cultivar. Mesmo assim, é cultivada quase que no mundo todo e está presente na Argentina, África do Sul, Nova Zelândia, Austrália e Estados Unidos. 
 
De coloração vermelho-clara, quase rosada, o vinho da Pinot Noir é fresco e delicado, indicado para acompanhar pratos com queijos, carnes mais magras e até chocolate! 
 
 

Sobre RBG Vinhos

A RBG Vinhos foi fundada em 1998, em São Paulo. Sua vocação: procurar continuamente oportunidades no mundo do vinho, buscando sempre aliar qualidade e bons preços. Seus clientes recebem semanalmente uma newsletter com as melhores sugestões e promoções. Se também quiser receber as recomendações de Ricardo Bohn Gonçalves, cadastre seu email ao lado.
RECEBA NOSSA NEWSLETTER


Se beber, não dirija. Aprecie com moderação.
A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.

+55 11 3676-1781
rbgvinhos@rbgvinhos.com.br