Serviço do vinho: a temperatura correta

Como tantas coisas quando o tema são vinhos, a temperatura ideal para servir cada tipo de vinho é uma questão cheia de sutilezas. Imagine, cada tipo de uva, em cada região, produz um vinho que têm sabor e aromas peculiares, e totalmente influenciáveis pela temperatura. Não é romantismo dizer que o fascínio do vinho é essa extraordinária riqueza de possibilidades. A rigor, cada vinho mereceria ser apreciado a uma temperatura diferente. Mas, claro, isso é quase impossível e existem sim regras gerais que ajudam a gente a lembrar de apreciar o efeito da temperatura em cada vinho.


De cara, é bom lembrar que quando se diz que vinho tinto deve ser servido à temperatura ambiente não estamos falando da temperatura de um dia de calor no Brasil e nem mesmo no hemisfério norte. Lembram do aquecimento climático? Pois é, o bom conselho vem de uma época em que 18 graus eram a temperatura ambiente em muitos países produtores (e bebedores) de vinhos. Não é mais. Hoje fala-se em 20 graus. Então os tintos precisam mesmo de uma refrescada. Mas atenção, não é gelar. 18 graus é mais quente do que a gente pensa. É só pensar que na geladeira e temperatura oscila entre 4 e -18 graus (números aproximados porque essas coisas variam de modelo, fabricante etc). Então se você “esquecer” seu vinho lá dentro, no final ele vai estar bem longo dos 18 graus ideais. 


Difícil? Um pouco, mas tenho minhas regrinhas e elas valem para qualquer vinho que não seja guardado em adegas climatizadas:

  • Tintos em geral (e isso já é uma generalização arriscada porque vinhos mais encorpados ou com teor de álcool de mais de 13,5%, se beneficiam de temperaturas mais altas). Mas vamos ficar com o “em geral”. Sirva-os entre 16 e 18 graus. OU depois de 40 minutos na porta da geladeira;
  • Brancos (e rosés) podem ser servidos numa temperatura bem mais baixa, o conselho é algo entre 10 e 15 graus. Prefiro dizer que deixo os brancos 1h30m na geladeira. Se tiver muita pressa, 30 minutos no freezer. Mas não vá esquecer. Em seguida, uns 30 minutos num balde com gelo. Antes de abrir, mergulhe a garrafa de cabeça para baixo no balde de gelo para igualar a temperatura e depois de servir a primeira rodada, devolva a garrafa para o balde ou para a geladeira, para manter a temperatura. Todos os brancos? Não. Grandes brancos, como os Grands Crus da Borgonha, por exemplo, eu sirvo apenas refrescados, nunca gelados. Experimente e veja a diferença que alguns graus fazem!
  • Espumantes podem ser servidos mais gelados que os brancos, ou entre 6 e 10 graus, mas servir bons espumantes quase congelados é pena. Para mim, valem as mesmas regras que os brancos: 1h30m na geladeira ou 30 minutos no freezer e direto para o balde. 

 

Sobre RBG Vinhos

A RBG Vinhos foi fundada em 1998, em São Paulo, por Ricardo Bohn Gonçalves. Nossa vocação é procurar continuamente oportunidades no mundo do vinho, buscando sempre aliar qualidade e bons preços e oferecer a melhor curadoria para orientar a sua escolha.

Para receber as recomendações de Ricardo Bohn Gonçalves, cadastre seu email e seu número de Whatsapp ao lado.

Além de poder comprar seus vinhos por email e por Whatsapp, você também pode escolher seus rótulos favoritos navegando pela nossa adega.

RECEBA NOSSA NEWSLETTER


Se beber, não dirija. Aprecie com moderação.
A venda de bebidas alcoólicas é proibida para menores de 18 anos.

+55 11 3676-1781
+55 11 94116-4445
rbgvinhos@rbgvinhos.com.br